‘Davi Miguel voltará ao Brasil nos próximos meses’, diz pai ‘Davi Miguel voltará ao Brasil nos próximos meses’, diz pai
Morando em Miami, nos Estados Unidos, desde julho de 2015, o francano Davi Miguel Gama, 4, segue com a situação indefinida. Portador de uma... ‘Davi Miguel voltará ao Brasil nos próximos meses’, diz pai
Morando em Miami, nos Estados Unidos, desde julho de 2015, o francano Davi Miguel Gama, 4, segue com a situação indefinida. Portador de uma doença que impede seu intestino de absorver os nutrientes, o garoto aguardava um transplante mas, sem condições de realizar o procedimento, a indicação é que ele, assim como seus pais, retornem ao Brasil e, futuramente, se for o caso, voltem para que o transplante seja realizado. Agora, segundo seu pai, Jesimar Gama, eles aguardam uma definição de como será o retorno e o tratamento no Brasil para voltar.

“Vamos esperar agora para ver como será neste mês de agosto. Vamos voltar, mas ainda é preciso decidir os detalhes, para onde vamos, como será o tratamento. O Davi Miguel depende de cuidados, por isso não pode ser um processo feito de qualquer jeito”, disse.
Segundo Jesimar, eles não devem retornar para Franca, já que na cidade não haveria condições para seguir com o procedimento de Home Care (farmácia que fornece em casa a nutrição intravenosa vital para Davi Miguel). “O Davi Miguel mantém uma vida o mais possível dentro da normalidade aqui. Foi solicitado o retorno e estamos aguardando uma decisão”, disse o pai, que afirmou ainda não saber como será a vida deles já que as doações recebidas por Davi Miguel – 30% do total foi destinado para a manutenção das despesas da famílias – estão no fim e eles abandonaram seus trabalhos em Franca e não tiveram autorização para trabalhar em solo americano.
Jesimar disse que dia 06 de setembro será realizada uma audiência que poderá definir essas questões e assim a família retornar e seguir o tratamento provavelmente em São Paulo. Em nota, o Ministério da Saúde informou que “tem acompanhado o paciente Davi Miguel Gama de perto e que busca junto à Justiça a melhor solução para o caso do paciente”.
Compartilhe nas redes sociais

hertz_user2016

Nenhum comentário até o momento.

Seja o primeiro a deixar um comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *