O Ministério Público do Estado de São Paulo determinou nesta quinta-feira (3) uma vistoria a ser realizada na Arena Corinthians pelo Centro de Apoio Técnico à Execução. O estádio correria risco de deslizamentos de terra após um vazamento de água na estrutura, fato negado pela construtora Odebrecht.

Via assessoria de imprensa, a Promotoria disse que ainda não tem informação sobre um possível risco de interdição. A vistoria – que ainda não tem data para acontecer, mas não será nesta semana – vai definir quais medidas serão tomadas.

A Sabesp disse que avisou o Corinthians em fevereiro sobre um possível vazamento, após notar uma alta nas contas de água do local. Segundo a Folha de S. Paulo, há risco de desabamentos, mas a Odebrecht afirma que o problema não se infiltrou no terreno e que, portanto, o risco não existe.

Segundo o colunista da Folha de S.Paulo e blogueiro do UOL Juca Kfouri, mais de 10 milhões de litros de água vazaram sob o estádio. O presidente do Corinthians, Roberto de Andrade, já manifestou preocupação com a situação do estádio.

“Estamos preocupados, porque isso gera riscos para as pessoas e prezamos pela segurança de todos. Mas quem precisa ver isso e testar são os engenheiros. Eles já foram acionados e precisam dar a garantia de que está tudo resolvido”, disse o dirigente.

Compartilhe nas redes sociais