Após corte de cinco zeros, moeda local passa a se chamar bolívar soberano.

s agências bancárias da Venezuela amanheceram com filas do lado de fora nesta terça-feira (21), com a corrida da população para obter notas da nova moeda local, após a entrada em vigor do pacote econômico, que entre outras medidas cortou 5 zeros da moeda local, que mudou de nome para bolívar soberano.

Entre domingo e a tarde de segunda-feira (20), os serviços bancários online e os caixas eletrônicos pararam de funcionar na Venezuela para adequar o sistema monetário do país às mudanças.

O bolívar soberano terá 8 notas diferentes e duas moedas metálicas. A maior nota será de 500 bolívares (cerca de US$ 7 no mercado negro). A reforma monetária é uma tentativa de controlar a hiperinflação no país, que segundo projeção do FMI (Fundo Monetário Internacional) deverá chegar a 1.000.000% neste ano.

Convocação de greve

Críticos da oposição atacaram as medidas de Maduro e convocaram uma greve nacional em protesto contra as medidas, mas muitos pontos comerciais abriram.

“Não vão trabalhar, vocês têm o direito de protestar, porque o que está em jogo é sua vida, seu futuro e seu país. Rebelem-se!”, escreveu o partido opositor Vontade Popular em sua conta de Twitter.

A Fedecámaras, principal grupo empresarial da nação, rejeitou a proposta “incoerente”, observando que o aumento planejado de 3 mil por cento do salário mínimo tornará impossível para as empresas e comércios manterem as portas abertas. Mas o grupo não se posicionou diante da greve de iniciativa opositora, dizendo que cada membro deveria decidir por conta própria.

O governista Partido Socialista anunciou uma passeata na manhã desta terça-feira para apoiar as medidas econômicas de Maduro que deve terminar com um evento no palácio presidencial.

Compartilhe nas redes sociais