Franca apresentou um crescimento de aproximadamente 31,8 mil moradores desde o Censo de 2010

Franca rompeu a barreira dos 350 mil habitantes, segundo estimativa do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), que divulgou a projeção da população deste ano. Com 350.400 moradores, a cidade ganhou, em média, nove novos habitantes por dia ante a estimativa de 2017, quando contava com 347.237 habitantes. O número coloca a cidade como a 74ª maior em habitantes em todo o Brasil e a 21ª do Estado de São Paulo. Segundo os dados, divulgados ontem, 28, Franca apresentou um crescimento de aproximadamente 31,8 mil moradores desde o Censo de 2010, quando somava 318.600 habitantes, uma evolução de quase 10%.
E o crescimento da população, segundo especialistas e a própria população, é acompanhada de uma série de desafios. A geração de emprego, transporte público, mobilidade urbana, saúde, educação e segurança estão entre as principais necessidades apontadas.
“Temos a informação do IBGE de 350 mil habitantes, mas já passamos de 400 mil se considerarmos os números das ligações de água da Sabesp e da média de moradores por residência. Está dentro do nosso governo o planejamento estratégico que deve ser discutido, durante o Fórum Franca 2040, junto com a Prefeitura e a sociedade”, disse o prefeito Gilson de Souza (DEM).
Segundo o prefeito, o Fórum debaterá 12 áreas “importantes”, entre elas, a saúde, educação, segurança, saneamento básico, mobilidade urbana, desenvolvimento e geração de emprego. “Vamos começar a debater esses eixos para que tenhamos a cidade bem planejada para os próximos 20 anos, onde tenhamos a tranquilidade de investir com resultados.”
A população compartilha das preocupações da administração pública. “Faltam indústrias para desenvolver a cidade, especialmente porque estamos falando de uma classe trabalhadora que depende desses empregos, que nos últimos anos vimos cair. É preciso diversificar os produtos e não ficar apenas com o calçado e, mais que isso, é preciso criar benefícios para atrair essas novas empresas para Franca”, disse a professora Júlia Nogueira, de 59 anos, moradora da Vila Santa Maria do Carmo.
O transporte é, para a cobradora de caixa Andresa Pereira, 22 e também para o revisor de qualidade Adalto Vicente da Silva, 56, o principal desafio para a cidade. “O nosso transporte público é ruim, quando vemos o que é cobrado. Falta qualidade e competitividade para melhorar isso, com o crescimento da população isso pode ficar ainda pior, se não for observado com cuidado”, disse Andresa.
“O trânsito em Franca é caótico, os motoristas não respeitam as regras e, por isso, vemos tantas mortes e acidentes. É preciso realizar campanhas para melhorar a educação e também melhorias nas ruas e avenidas”, disse Adalto Silva.
A região
Juntas, as 19 cidades que compõem o Aglomerado de Franca – Aramina, Buritizal, Cristais Paulista, Guaíra, Guará, Igarapava, Ipuã, Itirapuã, Ituverava, Jeriquara, Miguelópolis, Patrocínio Paulista, Pedregulho, Restinga, Ribeirão Corrente, Rifaina, São Joaquim da Barra e São José da Bela Vista, incluindo Franca – somam 657.753 mil habitantes.
Compartilhe nas redes sociais