Nas Eleições 2018, a maior parte do eleitorado paulista continuará sendo identificada da forma usual, por meio de documento oficial com foto. Somente em 121 municípios haverá identificação biométrica do eleitor.

São Paulo soma 100 municípios com cadastramento biométrico concluído. Eleitores de Guarulhos, Sorocaba e outras 83 cidades que passaram pelo procedimento obrigatório entre 2017 e 2018 serão identificados, pela primeira vez, por meio da digital no momento do voto. Nesses locais, o eleitor que não fez o cadastramento dentro do prazo teve o título cancelado e não poderá votar nas Eleições 2018.

Em outras 21 cidades, a forma de identificação será híbrida. A verificação das impressões digitais ocorrerá apenas para eleitores que já possuem os dados coletados. Quem ainda não fez a biometria e está em situação regular não será impedido de votar; a identificação segue da forma tradicional.

Nos demais municípios do Estado, incluindo a capital, que reúne o maior eleitorado do país, com mais de 9 milhões de pessoas aptas a votar, todos os eleitores regulares no cadastro eleitoral poderão votar normalmente nestas eleições. A apresentação de documento oficial com foto será a forma de identificar o eleitor, mesmo para os que já têm biometria cadastrada.

Biometria

De acordo com o planejamento do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), todos os eleitores brasileiros terão passado pelo cadastramento biométrico até 2022. A tecnologia confere ainda mais segurança à votação. Acoplado à urna eletrônica, o leitor biométrico confirma a identidade de cada pessoa por meio das impressões digitais, armazenadas em um banco de dados da Justiça Eleitoral e transferidas para as urnas eletrônicas. Após essa confirmação por parte do mesário, o cidadão é liberado para votar.

Fonte: TRE-SP

Compartilhe nas redes sociais