Hertz Noticias

A notícia à Serviço de Franca/SP

Facadas, travesti espancada e agressões: o balanço de uma Expoagro sem segurança e desorganizada

Compartilhar:

No último domingo (29/05), terminou a Expoagro 2022 (Exposição Agropecuária), realizada nas duas últimas semanas, no Parque de Exposições Fernando Costa, em Franca. O saldo da festa foi de violência, tumultos, brigas, desorganização e principalmente falta de segurança dentro e fora do recinto.

Pelo menos três casos graves de agressão foram registrados. No primeiro deles, uma jovem foi agredida com soco, por um rapaz, durante o show do cantor Gustavo Miotto, que chegou a interromper a apresentação e solicitou aos seguranças a retirada do agressor do Parque de Exposições.

Depois foi a vez de uma travesti e o namorado serem espancados durante show da dupla Henrique e Juliano. Uma pessoa gravou as cenas de violência e o caso ganhou destaque nacional, já que as vítimas são brutalmente agredidos, enquanto nenhum membro da segurança da Expoagro aparece para prestar qualquer apoio e deter os agressores. Veja abaixo:

Inclusive, o fato gerou repúdio até mesmo de famosos, como a atriz Camila Pitanga e a cantora Zélia Duncan, que usaram as redes sociais para pedir respostas. Além dos artistas, organizações como o Coletivo Arco-Íris e o Condecom também se manifestaram em apoio às vítimas.

O advogado Guilherme Cortez e Érika Hilton, vereadora e Presidente da Comissão dos Direitos Humanos, na Câmara Municipal de São Paulo acionaram o Ministério Público de São Paulo (MPSP) sugerindo um TAC (Termo de Ajuste de Conduta) com a Prefeitura de Franca e os organizadores da Expoagro para que medidas sejam tomadas para proteger a integridade de pessoas trans no município e em eventos.

Mas os atos violentos não param por aí. Um homem estava com o filho, quando disse ter visto duas pessoas serem esfaqueadas e sentiu ardor nas costas. Quando pediu ao filho para ver o que estava acontecendo, descobriu que também tinha sido golpeado.

Ele foi levado pelo SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) ao pronto-socorro municipal, onde foram necessários mais de 20 pontos para fechar o corte nas costas.

Nesses casos, todos tiveram registro de boletim de ocorrência e a segurança do evento chegou tarde, não conseguiu evitar os atos violentos. Em todas as oportunidades, os responsáveis por garantir a ordem no evento apareceram apenas quando o “leite” já tinha sido derramado.

Tivemos também outros pequenos tumultos na pista do recinto e nos camarotes.

Desorganização

Mas não foi só de “tiro, porrada e bomba” que se resumiu a Expoagro. Para quem pensa que parou só nisso, na delegacia, pensou errado. Carros pegaram fogo na área externa, ingressos falsos vendidos por golpistas nas redes sociais, furtos de celulares e até mudança de horário do show de Maiara e Maraísa, com menos de 24h de antecedência, deixando muita gente sem saber o que fazer, características de total desrespeito ao público.

Caso alguém se sinta lesado de alguma maneira deve registrar a ocorrência na delegacia e procurar os órgãos de defesa do consumidor, o Procon, por exemplo.

A reportagem solicitou retorno sobre os casos para a assessoria de comunicação da Mega Eventos, empresa sediada em Sud Menucci e que venceu a licitação da Prefeitura de Franca para a realização da parte artística da Expoagro, ocorrida de 19 a 29 de maio, mas até o momento não houve retorno.

Compartilhar:

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de e-mail não será publicado.