Hertz Noticias

A notícia à Serviço de Franca/SP

Franca recebe capacitação em esportes paralímpicos

Compartilhar:

Pensando em ampliar as oportunidades de participação das pessoas com deficiência física em atividades esportivas, estimulando a sua inclusão, Franca em parceria com o Governo do Estado, sedia capacitação de 4 dias sobre 8 modalidades de esportes paralímpicos. As atividades tiveram início na manhã dessa terça-feira, 4, e terão continuidade até sexta-feira (8), com aulas diárias, teóricas e práticas em período integral, envolvendo as modalidades: Natação e Bocha, Badminton e Ciclismo, Basquetebol para cadeirantes, Tênis de Mesa e Atletismo e Goalball. Fazem parte do “Programa de Desenvolvimento Paralímpico”, tendo como objetivo o desenvolvimento pessoal e a inclusão de todos os cidadãos.

Por meio da capacitação técnica o programa proporciona a oportunidade de desenvolver aptidões teóricas e práticas a professores de educação física da rede pública, privada, de entidades e clubes do Estado de São Paulo com o intuito de fomentar o esporte Paralímpico. As aulas práticas, além da aplicação dos conceitos e técnicas, buscam desenvolver os fundamentos básicos e adaptações necessárias para iniciar e dar continuidade ao processo educativo-esportivo em modalidades esportivas individuais e coletivas.

O mote dessa capacitação, informou o professor de educação física Inaldo Wirtz, membro da equipe da FEAC, é oferecer subsídios aos mais de 160 participantes inscritos, profissionais que trabalham com pessoas com deficiência. Algumas atividades que possam ser desenvolvidas em pequenos espaços, aproveitando as instalações que tenham a disposição.

Gratuitos, os cursos seguem até a próxima sexta-feira, com oportunidades ainda para quem não se inscreveu previamente. Basta que se dirijam a Unifran e entrem em contato com os organizadores.

Marco Aurélio Pegolo dos Santos, o Chuí, Secretário Estadual de Esportes, ressaltou que Franca é uma cidade referência na região, no esporte paralímpico e foi selecionada por abranger muitas associações, que já trabalham com o paradesporto ou com a pessoa com deficiência. Segundo ele, cada etapa de cursos atende, em média, 170 participantes e ao todo, serão 18 etapas a serem realizadas em todo o Estado, com a expectativa de capacitar cerca de 3 mil professores, com o paradesporto, atendendo os professores das escolas, os que trabalham com associações e educadores físicos no último ano de formação, para que tenhamos uma quantidade maior de pessoas trabalhando com esse público.

Agregando conhecimentos

Mayra Barbosa, coordenadora de Paradesporto, da Secretaria de Estado da Pessoa com Deficiência, disse que o curso foi pensado, baseado nas demandas recebidas pela Secretaria, onde percebeu-se que muitos professores não tinham o conhecimento básico sobre a modalidade paralímpica e muitos somente representavam a escola, levando a criança. “O intuito é que a gente agregue conhecimentos para que o professor possa trabalhar não só com crianças que tenham deficiência, mas as sem deficiência também. Que as modalidades sejam de conhecimento global, para que todos saibam que todos podem praticar. As adaptações são para todos, não só para quem tem deficiência”, destacou Mayra.

Os participantes terão ao longo desta semana, a oportunidade de vivenciar quatro modalidades a escolha deles, dentro das oito que compõem a grade, dentre elas, atletismo, natação, bocha, goalball, tênis de mesa, badminton e ciclismo.

O curso iniciado nesta terça-feira tem duração de 32 horas, com oito horas diárias, sendo quatro teóricas e as demais práticas, com professores que atuam nas seleções brasileiras paralímpicas, com atletas da base ao alto rendimento, dentro do Comitê Paralímpico, além do curso on-line do Comitê Paralímpico “Fundamentos Básicos do Movimento Paralímpico”. Ao todo, serão mais de 48 horas de experiência de curso.

Mateus Caetano, presidente da FEAC, comentou que por ser uma cidade que já investe no esporte paralímpico, é muito importante essa capacitação, possibilitando que Franca seja elevada a outro nível no Estado. “Já que estamos investindo nos nossos professores, vamos abrir um leque a mais de modalidades paralímpicas na cidade, como badminton, paraciclismo, a bocha e as modalidades que estão em atividade, como a natação, atletismo, o goalball, em parceria com a Sociedade dos Cegos e o futsal para as pessoas com Síndrome de Down, em parceria com APAE e APADA possam ser fomentadas, completou ele, destacando o atendimento de 20 pessoas autistas, na natação, em parceria com a Associação de Pais e Amigos dos Autistas de Franca (APAAF).

Fotos: Divulgação

Compartilhar:

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de e-mail não será publicado.