Hertz Noticias

A notícia à Serviço de Franca/SP

Por 10 a 3, vereadores rejeitam PL da Semana do Orgulho LGBT em Franca

Compartilhar:

Por 10 a 3, a maioria dos vereadores rejeitaram durante a sessão da Câmara de Franca, nesta terça-feira (10), o Projeto de Lei n°92, de 2021, que visava instituir e criar no calendário de eventos da cidade a “Semana Municipal do Orgulho LGBTQIA+”. Dos 14 vereadores, apenas Gilson Pelizaro (PT), Lindsay Carvalho (Cidadania) e Donizete da Farmácia (MDB) votaram a favor. Como não houve necessidade, o vereador e presidente da Casa de Leis, Claudinei da Rocha, não votou.

Painel da Câmara mostra como votou cada vereador (Foto: redes sociais)

Guilherme Cortez, munícipe e defensor dos movimentos LGBT criticou a votação. “A rejeição ao meu ver é um indício flagrante de como a está atrasado na questão de direitos, cidadania e consciência em relação à população LGBT aqui na cidade… Na minha opinião isso é um péssimo indício, pois se todos os projetos semelhantes com pouca discussão são aprovados, não sai da minha cabeça que o fato desse projeto ter sido rejeitado envolve intolerância, preconceito, discriminação e LGBT fobia, uma incompreensão profunda sobre a realidade, a urgência da nossa comunidade e o mais triste, todos os vereadores que votaram hoje contra, foram votados por pessoas LGBTs e durante suas campanhas se comprometem, mas na prática, no dia a dia, não acham que a nossa comunidade merece uma semana no pra gente refletir e manifestar o nosso orgulho aqui em Franca”, criticou.

A sessão da Câmara foi bastante tumultuada, com protestos de representantes dos movimentos LGBT contra os vereadores e de pessoas que eram favoráveis à rejeição.

Em sua fala durante a sessão Pelizaro disse que o projeto não trata de incentivo ao aumento da população LGBTQIA+, mas da defesa de direitos. “A questão é contra o preconceito, contra o ódio, a discriminação… Eu duvido que em algum grupo religioso ou qualquer seguimento da sociedade, alguém seja favorável ao sofrimento de alguém”, disse o petista que ainda citou trechos do plano de governo do prefeito Alexandre Ferreira (MDB) apresentado durante a campanha e que defende a criação de políticas públicas para as pessoas LGBTQIA+.

Outro ponto que chamou a atenção, foi o voto contrário do vereador Marcelo Tidy (DEM), um dos autores do projeto ao lado de Pelizaro e Lindsay. O vereador Zezinho Cabeleireiro, justificou a posição contrária ao projeto. “Eu até já tinha conversado com o Tidy para retirar o projeto, mas como era dele, da Lindsay e do Pelizaro, acho que ele não teve força para retirar. Eu não tenho nada contra o LGBT, contra as lésbicas,  tenho amigos meus que são gays, que são muito gente boa, eu valorizo o ser humano… Só acho que não precisa criar um projeto para ter a Semana do Orgulho LGBT, eles já tem que ter orgulho do jeito que eles são”, explicou o vereador que ainda completou que esse tipo de projeto não dever ser feito, pois “coloca os vereadores em saia justa”, já que se votarem contra “vão falar que somos racistas. Eu não sou racista”.

Compartilhar:

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de e-mail não será publicado.